Calor demais por muito tempo leva a inflamações e alterações circulatórias graves

AVCs, trombose venosa profunda, isquemias e hemorragias são alguns dos problemas circulatórios graves que podem afetar as pessoas nas altas temperaturas prolongadas

Já se sabe que doentes crônicos (obesos, diabéticos, hipertensos etc.), idosos, crianças, usuários de medicação continuada, pessoas acamadas, animais e pessoas de baixa renda  são as que mais sofrem com o altas temperaturas, e que a desidratação é um ponto em comum entre idosos e crianças expostos ao calor excessivo. Porém, o que muitos não sabem é que há outros sinais e sintomas que a população em geral manifesta quando exposta a longos períodos de calor extremo, ou a ondas de calor, que são pouco divulgados.

O especialista em Acupuntura há 33 anos, Dr. Márcio Luna, afirma que em períodos de calor acentuado e prolongado, como no verão, é mais procurado por pessoas com queixas paradoxais como de: má circulação, irritabilidade e apatia, alterações de pressão arterial e batimentos, tanto excessivos como baixos demais; ansiedade e cansaço fácil, câimbras, erupções cutâneas, insônia, dificuldade de concentração mental e baixo desempenho físico, mental e laboral. Ele explica que a Acupuntura e a medicina chinesa sempre levaram em consideração os fatores meteorológicos como fatores causais predisponentes e agravantes de doenças, principalmente quando incidem por longos períodos.

Dr. Luna chama a atenção para a desconhecida monografia da Organização Mundial da Saúde, OMS – WHO, cujo titulo é “On preventing health effects of heat” (“Sobre prevenir os efeitos do calor na saúde” – em tradução livre – http://www.euro.who.int/__data/assets/pdf_file/0007/147265/Heat_information_sheet.pdf?ua=1), que adverte, desde 2011, para os efeitos deletérios do calor e de ondas de calor sobre a saúde humana, e orienta as autoridades, a população e os profissionais de saúde sobre como lidar com o calor e seus efeitos na saúde.

Segundo Dr. Luna, a fim de evitarmos as consequências negativas do calor excessivo no nosso organismo, de acordo com a medicina chinesa, deveríamos procurar nos refrescar em ambientes frescos e tomando banho com água fresca e consumir alimentos que sejam em sua natureza mais refrescantes como frutas, saladas, verduras, legumes, sucos diluídos (refrescos); e evitar bebidas e comidas de natureza muito calórica e/ou ingeridas quentes, como cafés, chocolates; condimentos, pimentas, sopas quentes, frituras, excesso de açúcares, excesso de proteína, carnes vermelhas, fumo e álcool de todos os tipos.

Ainda segundo Luna, que também é Fisioterapeuta com mestrado em ciência da motricidade humana, nessa época do ano o desempenho dos músculos esqueléticos também cai e aumentam as inflamações, e aí o gelo é muito bem vindo para uso local nessas lesões.

“Não é uma época boa para intensificar os exercícios físicos como muitos fazem. Aqueles que usam medicações de uso continuado precisam redobrar a atenção, pois a maioria dos medicamentos diminui o suor e com isso a regulação da temperatura interna fica alterada. O uso de ventiladores quando a temperatura está acima de 35 ° C não evita os efeitos nefastos do calor no organismo, podendo até facilitar a desidratação. A aplicação da moxabustão (método chinês que usa uma espécie de charuto feito de Artemísia, aceso, para aquecer os pontos de acupuntura) está contraindicada formalmente, mas a acupuntura, de fato, não só está indicada nessa situação como ajuda a esfriar o corpo e a combater os sinais e sintomas do calor. O Brasil deveria ter uma política de incentivo à produção e à compra de aparelhos de ar condicionado, pois só climatizando os ambientes evitaríamos milhares de pioras nos estados de saúde e a baixa produtividade no trabalho”, aconselha Luna.

Dr. Marcio de Luna atende no Rio de Janeiro informações aqui :

9 views |
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.